Mediação Familiar

O processo de Mediação Familiar é um método eficiente, confidencial e promotor de grande reflexão, sendo por isso especialmente capaz de dar resposta às mais diversas questões surgidas entre o casal que se separou.

Sendo o Mediador também um psicoterapeuta e uma pessoa verdadeiramente neutra relativamente aos ex-cônjuges, que não imite qualquer tipo de julgamento e que irá dar total atenção aos conflitos pessoais de cada um e aos conflitos entre o ex-casal, auxiliando relativamente a medos, anseios e preocupações, ajudando a interpretar e separar os conteúdos emocionais dos conteúdos económicos, com sensibilidade, empatia e objetividade, levando-os a sentirem uma comunicação mais positiva, pautada por uma tolerância resultante do processo de mediação, isto é, passarão a ser capazes de se escutar verdadeiramente através da figura do mediador, conseguindo cooperar em vez de competirem.

No decorrer da mediação, procura-se a dissolução controlada e apoiada da separação, conseguindo-se deixar intacta a dignidade de cada elemento, reestruturando a auto-estima de ambos, para que consigam comunicar em relação aos filhos e se sintam capazes de seguirem em diante, sem se sentirem “destruídos” pela rutura da relação e se saiam mais fortalecidos enquanto pessoas, readquirindo a capacidade de gerirem a própria vida.

Os pais divorciam-se mas não se divorciam dos seus filhos. E este método de comunicação permite assim transformar e resolver situações como:

- Os sentimentos e conflitos de cada um dos ex-cônjuges e entre eles;

- Gerir as expectativas com que cada um entrou na relação matrimonial e como esperam agora sair desta relação;

- Com quem vão viver as crianças?;

- Como vai ser estruturada a vida das crianças;

- Comunicação relativamente aos filhos;

- Reestruturação da auto-estima e integridade de cada um